Natal ?! ?!

Enfim, de volta aos temas de finanças pessoais.

Estamos a três semanas do Natal. Alguns simplesmente não comemoram. Já entre aqueles que comemoram, muitos ficam com os sentimentos divididos. De um lado a alegria, a família reunida… De outro lado stress, correria, gastos e muita “encheção de saco”.

O final de ano é uma época em que as angustias financeiras afloram. Muitas pessoas chegam ao final do ano se sentindo meio culpadas por não terem conseguido ganhar tanto dinheiro (ou geri-lo de forma eficiente). Alguns têm motivos para comemorar, pois cumpriram ou superaram suas metas, mas, considerando o estado atual da economia, suponho que seja uma minoria. Além disso, têm as compras de Natal, férias (para alguns), aquelas despesas típicas de início de ano…

Uma das perguntas recorrentes nesta época é “como chegar ao final do ano com as contas em ordem?”. Bem, para quem já não está com as contas em ordem, é um pouco tarde para perguntar… Mas eu costumo dizer que a melhor forma de terminar bem o ano é COMEÇANDO bem o ano. Isso significa fazer o esforço que for necessário para não iniciar o ano novo com novas dívidas e novos problemas.

As pessoas costumam “aliviar” bastante a disciplina financeira nesta época do ano, em nome do “espírito natalino”, das férias escolares e da esperança de que, no ano que vem, “tudo se resolve”. É um padrão de pensamento um pouco perigoso e que, quase sempre, leva a uma situação financeira caótica – e o padrão se repete no final do ano seguinte…

Eu confesso que não sou o maior fã dessas comemorações de fim de ano, por isso minhas opiniões podem ser um pouco enviesadas e, na visão de alguns, meio radicais. Mas eu prego a “tolerância zero” quando se está numa situação financeira não muito sólida.

No final do ano passado, havia sugerido às pessoas que fizessem um “Natal alternativo”, em janeiro. Fiz isso através de um artigo que publiquei logo depois da infame “Black Fraude” (veja aqui “Um desafio – Faça seu Natal em janeiro”).

Este ano resolvi tocar novamente no tema.

 

ARTIGO – SACRIFICANDO A PRÓPRIA FAMÍLIA NO NATAL

Eu fiquei na dúvida se este título seria mais adequado para um artigo de finanças pessoais ou para um filme de terror “B”, mas resolvi apelar para um pouco de “dramaticidade”.

É apelativo? Sim, pode ser, mas as tentações e as “furadas” financeiras de Natal e fim de ano são igualmente apelativas, e quero ressaltar a importância de se fazer um sacrifício que pode doer no curto prazo, mas poderá ser a salvação da família num prazo maior.

Se sua situação financeira não está lá “essas coisas”, é hora de ser forte. Confira aqui: Sacrificando a própria família no Natal

 

VÍDEOS – CARTÕES DE CRÉDITO, JOVENS E INVESTIMENTOS

Desde a última newsletter, dois novos vídeos foram publicados comigo no Portal EXAME.

Um deles sobre dívidas no cartão de crédito (368,27% ao ano é um número que não sai da minha cabeça…). O outro é sobre a disciplina (ou falta de) dos jovens na hora de investir dinheiro.

Essa parte dos jovens, em especial, é controversa. Nos EUA, por exemplo, alguns argumentam que os jovens não têm disciplina para investir dinheiro por uma razão muito simples: Eles NÃO CONSEGUEM ganhar dinheiro (a vida não anda muito fácil para quem está tentando começar uma carreira profissional…).

Mas, enfim, confira aqui:

Como zerar os gastos no cartão de crédito?

Por que os jovens não têm disciplina para investir?

E por hora é isso. Um grande abraço e até a próxima!

André Massaro

www.andremassaro.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s