Judas

O que ocorreu tinha que ter ocorrido. Era o que pregavam as profecias. Judas cumpriu seu papel, e o fez com rara determinação. Judas tinha suas próprias convicções bem enraizadas, era um Zelote, provinha das camadas mais pobres da sociedade, massacrados por um sistema fiscal impiedoso, desejavam expulsar os romanos, e para atingir tal fim, partiam para a luta armada. Possivelmente Judas depositava em Jesus as esperanças de uma força imperiosa, uma liderança para combater e derrotar os romanos, e quando percebeu que tal não ocorreria da maneira como desejava, delibero u por trair seu mestre.
 
Mas devemos refletir, Judas cumpriu uma nobre missão, que estava sacramentada nos escritos, talvez a mais árdua missão entre os apóstolos, e por tal razão é injustamente “malhado”. Judas tinha seus ideais, mas aprendeu a amar Jesus, e seu beijo traidor possivelmente foi acompanhado por retumbante melodia entoada pelos arcanjos anunciando que haviam sido cumpridas as profecias.
Tentar creditar a Judas uma participação relevante e necessária, para que se cumprissem as escrituras, é um exercício mental, onde navega-se contra tortuosa correnteza tendo como apoio apenas um frágil tronco de madeira, pois há milenares conceitos definitivamente enraizados e fundamentados à respeito do personagem Judas e sua vilania. Mas também há aqueles que apresentam atenuantes em seu favor, e a meu ver, é um tema interessante à reflexões, à luz de algumas citações:

Vamos, pois, ao evangelho de São João:
 
João 9 1-6
Ao passar, Jesus viu um cego de nascença. Os discípulos perguntaram: “Mestre, quem foi que pecou, para que ele nascesse cego? Foi ele ou seus pais?” Jesus respondeu: “Não foi ele que pecou, nem seus pais, mas ele é cego para que nele se manifestem as obras de Deus. Nós temos que realizar as obras daquele que me enviou, enquanto é dia. Está chegando a noite, e ninguém poderá trabalhar. Enquanto estou no mundo eu sou a luz do mundo.” 

Assim como o cego que vagou nas penumbras da escuridão, não teria Judas também sido impelido a exercer a tortuosa tarefa de ser ele o traidor do Mestre, a quem aprendeu a amar?
 
Qual o verdadeiro papel de Judas Iscariotes na paixão de Jesus Cristo? Inexoravelmente condenado à traição, o apóstolo não teria, ele também, se sacrificado, para que Jesus pudesse cumprir sua missão divina? 

Nobre cego que viveu nas trevas até encontrar Jesus, que o curou por meio de um millagre, fazendo assim se cumprir os escritos. Nobre Judas, que amando o mestre, e penso que não há fundamentos para se afirmar que ele nao O amava, teve a coragem de cometer o ato mais vil da história, oferecendo à posteridade sua imagem a ser amaldiçoada, execrada e humilhada, para que fossem cumpridas as escrituras.
 
João 9 7-8
…Dizendo isso, Jesus cuspiu no chão, fez barro com a saliva e com o barro ungiu os olhos do cego. E disse: “Vá se lavar na piscina de Siloé. O cego foi, lavou-se e voltou enxergando.”
 
Jesus ungiu os olhos do cego, mas deu-lhe a missão de se lavar na piscina de Siloé. O cego assim o fez e voltou enxergando, o que nos simboliza que Deus nos dá o caminho, mas nós precisamos fazer também a nossa parte. A Judas também fora dada sua missão, ele fora discípulo e traiu Jesus. Fez sua parte. Fez o que lhe era esperado que fizesse.

João 9 13-16
Então levaram aos fariseus aquele que tinha sido cego. Era sábado o dia em que Jesus fez o barro e abriu os olhos do cego. Então os fariseus lhe perguntaram como é que tinha recuperado a vista. Ele disse: “Alguém colocou barro nos meus olhos, eu me lavei, e estou enxergando.” Então os fariseus disseram: “Esse homem não pode vir de Deus; ele não guarda o sábado.”
 
Ao invés de enaltecerem os maravilhosos feitos de Jesus, que no caso em pauta deu a luz à um cego, preferiram criticá-lo por não guardar o Sábado. A ação de Jesus abala as idéias religiosas dos representantes do poder. Estes, em primeiro lugar, procuram transformar o fato em fraude. Apegados a suas idéias, negam o que é evidente e invertem as coisas, defendendo a todo o custo sua posição de privilégio e poder. Pretendendo possuir a luz, eles se tornam cegos e querem cegar os outros. São esses, os mesmo hábeis homens que negociam com o ingênuo e obstinado Judas, que não enxergou suas efetivas intenções.
João 17 11-12
“Pai Santo, guarda-os (os discípulos) em teu nome, o nome que tu me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um. Quando eu estava com eles, eu os guardava em teu nome, o nome que tu me deste. Eu os protegi e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para que se cumprisse as escrituras.”
 João 17 24
Pai, aqueles que tu me deste (os discípulos), eu quero que eles estejam comigo onde eu estiver, para que eles contemplem a minha glória que tu me deste.”
 
Jesus se refere a Judas como o filho da perdição, mas destaca: “para que se cumprisse as escrituras” – alguém tinha que fazer aquele papel, e quando diz: “Quero que eles estejam comigo,” não exclui Judas do grupo que teria ao seu lado. Ao lado do Pai.
 João 14 28
 
“Se vocês me amassem, ficariam alegres porque eu vou para o Pai, pois o Pai é maior que eu.”

Judas fora o único dos apóstolos que compreendera essa mensagem de Jesus, que sabia o sofrimento que teria que passar, mas ressaltava que a alegria de estar ao lado do Pai a tudo superava, e para isso as escrituras precisavam ser cumpridas, o caminho previamente traçado tinha que ser seguido, assim como tinha previsto Isaias.
 
João 15 16
Não foram vocês (discípulos) que me escolheram, mas fui eu que escolhi vocês. Eu os destinei para ir dar fruto, e para que o fruto de vocês permaneça.”

Atos dos Apóstolos 1 15
…Pedro levantou-se no meio dos irmãos e falou: “Irmãos, era preciso que se cumprisse aquilo que o Espírito Santo, por meio de Davi, tinha anunciado na Escritura a respeito de Judas…

Observem que triste sina, Judas foi escolhido por Jesus, e por conseguinte condenado a cometer a vilânia de atraiçoar seu mestre, e por isso ser amaldiçoado, mas Jesus era ciente de tudo que teria que passar, e precisava de alguém com muita coragem e personalidade que não hesitaria na hora de realizar o trabalho sujo.

Judas provinha de uma comunidade que era impiedosamente massacrada pelo romanos, e por conseguinte revolucionários, que desejavam expulsar tais dominadores pagãos e pretendiam restaurar um Estado onde Deus é o único rei, representado por um descendente de Davi, e Jesus era esse Rei. Judas esperava que ele retomasse esse poder dos romanos, esperava que Jesus fizesse um milagre e talvez aniquilasse todos os romanos, e ao longo, quando percebia que não seriam exatamente esses os planos de Jesus, dentro de suas convicções quis dar uma empurrãozinho no Mestre, pois esperava que quando ele fosse acuado exerceria o seu poder real e enfim tiraria dos romanos o comando.

Por tudo isso, reflita bem no próximo Sábado de aleluia antes de malhar o Judas.

TFA

Cláudio Américo
Loja Vera Lux nr 127
Maringá-Pr

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s